Tomar Sol ou Vitamina D?

Em 1903 o Dr. Niels Finsen ganhou o Prêmio Nobel de Medicina por ter descoberto o poder curativo do sol. Antes mesmo dos Antibióticos, doenças como Tuberculose, Sífilis, Psoríase, Gripes, Resfriados e muitas outras eram tratadas na Clínica do Dr. Finsen em um espaço denominado de Solário. Este local era a céu aberto, ou seja, seus pacientes eram expostos ao sol por determinados minutos diariamente. O tratamento consistia apenas de banhos de sol.

“Sol perto – doença longe”, esse era o lema!

A vitamina D atua beneficiando o intestino, rim, osso e glândulas paratireóides. É fundamental para a absorção do cálcio e fósforo; participa da síntese protéica, do sistema nervoso central, melhora o sistema imunológico. “Protege o organismo contra vários tipos de doenças como câncer, diabetes, DCV, osteoporose e principalmente evita câncer de intestino, mama e próstata”.

Dr. Ítalo Rachid afirma que “o sol está longe de causar câncer de pele!” A luz branca, sim, causa câncer conclui o Dr. Rachid.  “Existe uma múltipla deficiência de vitamina D em todos os recantos do Planeta”. Uma das maiores epidemias já registradas na medicina é a deficiência de vitamina D o que causa vulnerabilidade a várias doenças. Gripes, Resfriados, Viroses, H1N1, colesterol elevado, raquitismo (deformidade óssea). A diminuição da vitamina D no organismo é causada principalmente por: idade avançada, alguns medicamentos e estresse.

Existem duas formas de obtenção da vitamina D: exposição ao sol em horários adequados e através da suplementação, pois é quase impossível adquirirmos essa vitamina pela alimentação, já que a quantidade presente nos alimentos é mínima. Os melhores horários para a exposição ao sol são das 11 às 14 horas apenas 30 minutos ao dia.

Existem dois tipos de vitamina D: a de origem animal – colecalciferol (D3 ), retirado da lã do carneiro e origem vegetal – ergocalciferol  (D2 ), provindo de uma associação entre  algas e fungos.

Tanto a vitamina D2 quanto a D3 participam dos mesmos processos biológicos – atuam igualmente no organismo humano.

“Quanto mais distante ficamos do sol, mais propensos estamos de doenças”.

Vamos curtir o sol e a vida!

 

Eliene Pires de Oliveira

Nutricionista – CRN 8/7683